Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Pensamentos!’ Category

Te dei casa, carro, comida e roupa lavada. Te dei amor, carinho e te segurei nas horas onde o mundo parecia cair ao seu redor. Te dei amigos, te dei a vida que você sempre sonhou.

Frequentemente me irritava com a sua falta de iniciativa e capacidade de se virar sozinha, mas era por um bom motivo, queria que você crescesse, que se tornasse forte e independente, porque o mundo não ia parar pra te ajudar, ele vai te atropelar se você parar. Estava te ensinando como se ensina a um irmão mais novo, na esperança de um dia quem sabe, ser superado por você.

Te trouxe pra dentro da minha família e te tratei como um dos meus…

Pra descobrir que tudo que eu sabia sobre você era mentira.

Você me olhou nos olhos, mais de uma vez e negou tudo. E eu acreditei, eu sempre acreditei.

Não sou burro, já tinha visto vários pequenos sinais, mas não queria acreditar em nenhum deles. Era simplesmente mais fácil pra mim, e pra todo mundo, achar que o vilão da história era eu.

Mas eu sempre descubro, eu tenho uma obsessão por descobrir as coisas, obsessão essa que sempre me mostrou o que eu não gostei de ver, e dessa vez não foi diferente.

Deve ter sido extremamente prazeroso pra essa sua cabeça doente onde princípios distorcidos reinam absolutos ver que eu não desconfiava de nada, você deve ter se sentido vitoriosa e orgulhosa da sua própria “malandragem”.

Não sei como conseguia deitar a cabeça no MEU travesseiro e dormir sem culpa de nada. Mas é claro, é muito mais fácil me ver como o vilão da história, sempre foi assim, eu sempre fui o grosso, o impaciente…

Mas a vingança é uma filha da puta, vesti meu terno e falei que íamos sair, conversar, nada de mais, tudo normal.

Cheguei na frente da sua casa e larguei no seu colo, folhas e folhas de provas, de evidências concretas e irrefutáveis.

E naquele momento seu castelinho de superioridade e “malandragem” desmoronou. Todas as suas mentiras estavam lá, desmentidas por você mesma, a mesma que achou que eu nunca iria encontrar nada. Todas as promessas que foram feitas estavam claramente sendo descumpridas ali, todas, nenhuma sobrou imaculada.

O seu aparente sorriso ao me ver logo se transformou em desespero, você tentou argumentar, mas nada justifica ou justificará aquilo, você não tinha o que dizer em sua defesa e nem nunca terá.

Não sabia que era capaz que sentir tanta raiva e fiquei muito feliz em ver que além de sentir, eu conseguia colocar tudo pra fora, minha linha de raciocínio por imagens, que sempre me atrapalhou em discuções estava agora agindo a meu favor e a cada palavra dura que eu falava, e a cada verdade dilacerante que eu arrancava da minha alma, eu ia me sentindo mais leve.

Mas quer saber? Eu sou melhor que isso e mereço coisa melhor.

Beijos e nunca mais ligue

Read Full Post »

Post Inicial

Post inicial aqui estamos… hum… acho que o mais correto seria explicar aqui o grande “por quê” de criar esse blog, bom, eu sempre gostei de escrever sobre assuntos diversos (entenda escrever por criticar na maior parte das vezes, mas não tome por crítica apenas a depreciação de algo, uma crítica pode muito bem ser uma coisa positiva, exaltando qualidades).

É, isso é um joinha

É, isso é um joinha

Não acho que eu deva definir um caminho ou um “segmento” pro blog, vou escrever sobre o que eu quiser, o que pode variar de jogos e quadrinhos ao buraco na camada de ozônio. sempre que eu achar que algum tópico ou assunto merece ser dissertado, eu procurarei fazer isso por aqui. Não se surpreenda se o assunto abordado for a musiquinha chata que toca no hoshigami (não sabe o que é? google it!) ou sobre a minha indignação sobre o fato das revistas de videogames promoverem mais a vida pessoal de seu redatores do que mostrar informações ÚTEIS e PERTINENTES ou até sobre os motivos pelos quais você não (isso mesmo, NÃO) deve entrar no mar.

Sem mais enrolações, por aqui eu encerro esse post enrolação (ops… era pra ser apresentação XD).

See ya!

Read Full Post »